Mãos à Escrita
Jornal do Agrupamento Professor João de Meira
Pesquisa

O Sol e a Lua
Por Alzira Guedes (Professora), em 2013/11/13523 leram | 0 comentários | 150 gostam
O romantismo e a imaginação não têm limites. Texto redigido pelo aluno João Mateus, do 5º B
O Sol e a Lua

      O Sol insistiu para que a Lua gostasse dele. Passaram horas e a Lua dizia sempre que não. Houve um momento em que suspirou, e o Sol deixou-a em paz, mas não parava de pensar nela. Depois disse-lhe o Sol:
      - Eu estou profundamente apaixonado por ti.
      As suas manchas pretas ficaram vermelhas, estava corada! Acabou por pedir-lhe:
     - Não insistas, eu não gosto de ti.
     O Sol não insistiu mais naquele momento, ficou a pensar no que devia fazer! Teve a ideia de lhe cantar uma música e cantou-a. Ela ficou calada. Uma semana depois, viu que era a época de a Lua ficar brilhante, queria dizer que ficava congelada durante uns dias. Aquela era a coisa que a Lua detestava e congelou-se completamente. O Sol não gostou e mandou o seu grande calor (o da sua paixão pela Lua) contra o gelo. O gelo derreteu-se e a Lua ficou muito agradecida.
    Ela declarou-se os seus sentimentos que entretanto tinham mudado e um deles era que ela gostava dele.
    Quando ele soube deu uma cambalhota e os dois ficaram felizes para sempre.


João Mateus Ramos, 5º B


Comentários

Escreva o seu Comentário