Mãos à Escrita
Jornal do Agrupamento Professor João de Meira
Pesquisa

Viagem pelo corpo humano
Por Alzira Guedes (Professora), em 2013/11/13764 leram | 0 comentários | 166 gostam
Descobrir o corpo humano de outra maneira: eis o desafio...

João Amorim, 5º B
Uma viagem pelo corpo humano

  Era uma vez dois jovens muito interessados em novas experiências e conhecimentos, o João e o Diogo, que, depois de muitos anos de pesquisas, descobriram uma fórmula extraordinária. Esta fórmula permite que os objetos ou seres vivos encolham.
  Um dia, decidiram experimentar novamente a fórmula em que eles próprios entrassem. Meteram-se dentro de um submarino que estava parado num porto de mar. Entraram e deitaram um pouco da fórmula e de imediato ficaram tão minúsculos que, a olho nu, ninguém os conseguia ver.
As ondas arrastaram o submarino para uma praia muito frequentada. Entretanto veio uma onda grande que os levou até ao local onde estava um grupo de meninos. Um deles abriu a boca sem querer e engoliu um pouco de água precisamente onde estava o invisível submarino.
- E agora, qual será o caminho para o esófago?!!! - exclamou o Diogo, muito indeciso.
    De súbito uma válvula deu-lhes um empurrão para o esófago.
- O que era aquilo que nos empurrou? - perguntou o Diogo ainda meio atordoado.
- Aquela válvula tem a função de impedir a entrada dos alimentos na laringe - explicou o João, com ares de sabichão.
De repente sentiram um impulso e caíram num órgão em forma de saco, o estômago, que é um músculo involuntário.
- E agora Diogo, que líquidos são aqueles que vêm em nossa direção?
- Não te preocupes, são os sucos gástricos. Eles ajudam na transformação dos alimentos em quimo - respondeu o Diogo.
- Já viste isto!? Parece um jogo. Primeiro somos engolidos, depois tentam misturar-nos com líquidos estranhos e agora entramos num labirinto enorme!...- comentou o João.
- Isto que te parece um labirinto é o intestino delgado. Sabias que é neste órgão do sistema digestivo que o quimo se transforma em quilo? - perguntou o Diogo.
- Ah! Já me lembro que a professora disse que os vasos capilares vão ao intestino delgado buscar os nutrientes necessários para o sangue levar a todas as partes do corpo. O que não presta vai para o intestino grosso para ser expelido para o exterior… - relembrou o João.
Eles ficaram muito assustados porque estavam com medo de ir para o intestino grosso. Entretanto, uma espécie de tentáculos agarrou-os e … desmaiaram.
 Ao fim de algum tempo acordaram e aperceberam-se que deslizavam pacificamente por um canal sanguíneo. Ouviam uma batedela cada vez mais próxima. Em breve entraram num grande músculo involuntário.
- O que será isto? - gritou o Diogo, balançando ao ritmo do grande músculo.
- Parece-me que entrámos no principal órgão do sistema circulatório - respondeu o João. - Prepara-te que vamos ser esguichados, circulando com o sangue através das veias e artérias, para todas as partes do corpo…
- Então para onde é que vamos? - interrogou o Diogo, entusiasmado com aquela aventura.
O João, um pouco indeciso, respondeu-lhe:
- Acho que vamos lá para cima!
De imediato, foram bombeados para uma grande artéria que os levou até ao cérebro. Aqui o sangue deixa o oxigénio e as substâncias nutritivas necessárias a este órgão vital. Em troca recolhe o dióxido de carbono e outras impurezas, voltando ao coração através de uma grande veia.
- Parece que chegámos novamente ao coração! - comentou o Diogo. - Não estou a perceber!…
Então o João lembrou-se do que aprendera na escola e disse-lhe:
- Penso que vamos entrar na pequena circulação para ir aos pulmões deixar o dióxido de carbono e o vapor de água que vão ser expirados para o exterior.
Já no interior dos pulmões, deu-se uma troca gasosa, recebendo o oxigénio que já lhes estava a fazer falta.
- Ah! Muito melhor! O submarino já estava a ficar embaciado - suspirou de alívio o Diogo já a chegarem ao coração.
O sangue fez as trocas gasosas nos pulmões mas havia ainda substâncias que, por serem prejudiciais tinham de ser expulsas. Esse trabalho é feito por um conjunto de órgãos que têm função excretora.
-Mas que grande “viagem”. Olha só para aqueles feijões gigantes! – exclamou o João.
- Ó João, tu não vês que são os rins!
- Ei! Num destes órgãos é que não nos vamos safar – disse o João.
- Olha, já tivemos tanta sorte que eu agora acredito em tudo – comentou o Diogo muito confiante.
O que tanto temiam aconteceu!
Quando entraram num rim viram uma data de fiozinhos a sugar algum sangue. Eles ficaram para trás mas acabaram por fazerem parte das impurezas…
- Já sabia! - lamentou o João - O rim é o melhor filtro que o corpo humano possui e foi por isso que nós fomos retirados do sangue.
Eles saíram do rim e escorregaram por um tubo até uma espécie de balão.
- O que é isto? - perguntou o Diogo.
- Não te lembras do sistema urinário? O tubo por onde nós descemos é o ureter que vai até à bexiga. Ela vai enchendo cada vez mais. Daqui a poucos minutos vamos ser expelidos pela uretra – relembrou o João.
Quando a bexiga ficou cheia eles realmente foram atirados para fora.
- Parece que estamos a voar! - exclamou o Diogo, muito assustado.
Entretanto eles foram cair num urinol. Depois veio um litro de água do autoclismo que veio cair em cima deles.
- Isto não estava previsto! - gritaram os dois em uníssono.
 Quando tudo acalmou o Diogo comentou:
- Acho que já não estamos no corpo humano! Estes tubos estão cheios de lodo e “bolas castanhas” a flutuar…
- Pois claro que já não estamos no corpo – disse o João. – Creio que agora o nosso problema não é esse. Nós nunca tínhamos estado tanto tempo com a fórmula ativada. Eu acho que me lembro que a duração da fórmula é 7:34 horas. Se passar mais tempo ficaremos minúsculos e invisíveis para sempre – respondeu o João, com alguma preocupação e certeza no que estava a dizer.
- Restam-nos apenas quatro minutos – disse o Diogo um pouco indeciso e aflito.
Eles continuaram a viagem por aqueles canos horríveis até que o João se lamentou:
- Oh, não! Só falta um minuto… estamos perdidos!
- Não necessariamente! Estou a ver uma luz ali à frente - disse o Diogo, olhando para uma luz amarelada ao fundo do túnel.
Já perto da saída começaram a ouvir : “cinco… quatro… três...dois… um”… Imediatamente o João carregou no botão que dizia “retomar”…
PUM! Assim eles voltaram ao tamanho inicial e repararam que estavam numa ETAR (estação de tratamento de águas renováveis).
O submarino ficou ali encalhado e eles aproveitaram para sair.
_Trimimimimim! – O despertador tocou.
O Diogo saltou da cama um pouco desorientado, veste a roupa e vai contar ao amigo o seu sonho. Conversaram muito sobre o corpo humano e até fizeram algumas pesquisas.
O Diogo e o João quando fizeram o teste sobre o corpo humano tiveram excelente.
  
João Amorim, 5º B
 


Comentários

Escreva o seu Comentário
 




Top Artigos: Amor de Mãe